AÍ-SIM | Salvador Dalí e a Playboy de 1973

08.08.2011 / Em ilustração / Por Janara Lopes

Há tempos eu estou com vontade de fazer uma seção que tratasse de arte e erotismo. Para descarregar meus quilômetros de pesquisa e paixão pelo o assunto, eu fiz um tumblr, mas ali muita coisa se perde, não dá pra contar histórias, é meio sem graça.

Mas ao mesmo tempo confesso que fiquei completamente assustada com o ataque da galera da TFP* (tradição-família-e-propriedade) num post da seção "Você não desenha nada!", em que as ilustrações eróticas Art Nouveau de Franz von Bayros provocaram tanta ira no nego, que ele se fez passar por um fiscal da polícia federal, me ameaçando de crime de pedofilia. Eeeerrrr, ok. Você vai entender melhor vendo o post, mas se quiser ver o que espantou ele, está aqui.

O velho deitado diz que a maldade está nos olhos de quem vê. Eu vi um desenho lindo, ele viu pedofilia. Enfim.

Mas voltando à minha preocupação inicial, ela é maior no que concerce a formação de um artista em si, ou mesmo de alguém que se diz "um admirador das artes". Negar todo o legado da arte erótica, ou até mesmo da pornográfica, é quase como negar a própria sexualidade. Tem que ver isso aí.

E então, contrariando a TFP, começo hoje essa seção com uma frequência indefinida. Caso você venha pelo twitter e leia um "Aí siiiiim" antes do título post, é porque vai vir sacanagem pela frente, e se pega mal no trabalho, deixe para ver mais tarde.

Outra coisa que eu acho uma grande palhaçada: o fato da IdeaFixa ser bloqueada em muitas universidade porque o tema da primeira edição é Sexo. Tem coisas que não dá mesmo para entender...

Mas depois dessa minha mágoa de caboclo exposta, chega de enrolação e vamos falar do Dalí. Quem faz careta para arte erótica e diz que é fã do nego, simplesmente não entende ou não conhece nada além dos relógios derretendo no deserto. O erotismo sempre foi uma das forças motoras da obra desse suejto completamente doidão, e que, quase ninguém se lembrava, mas já fez um trabalho colaborativo para a Playboy de 1973.

Quando questionado sobre as composições bizarras e bem pouco comuns a uma revista masculina, Dali respondeu ambiguamente: "O significado do meu trabalho é a motivação do próprio - o dinheiro. O que eu fiz para a Playboy é muito bom, e seu pagamento está à altura da tarefa".

Vi no facebook do Nelsinho, via Another Mag.

| AI-SIM | Putaria desenhada

A.I.5: Ditadura oficializada em um ato institucional que dava poderes excepcionais aos governantes e punia qualquer tipo de inimigo do regime.A.Í.SIM: Putaria autorizada em uma seção visual que dá liberdade total aos artistas eróticos e pune qualquer tipo de repressão sexual. Assim como o ato institucional, a seção AI-SIM também pode deflagar revoltas e duros movimentos de resistência...

  • http://leocomixworks.carbonmade.com Leonardo Soares

    Aí sim hein!!!

  • http://brunofujii.com Bruno Fujii

    Não sabia queo Tumblr era teu! Muito bom!

    Esse post também né…

  • http://www.flickr.com/photos/lubastos_ luciana

    adorei!

  • Julio Dantas

    ai sim!

  • Denise

    O desenho de Franz von Bayros tem um traço lindo, vejo isso tb, mas também vejo um lado perverso. O que ha de errado em a arte tocar neste tema? é um tema, e com certeza autual até hoje. Tenho muito medo quando para se aceitar um artista (principalmnte em museus) as pessoas tenham que transformar sua obra em alguma coisa apenas “formal”. A arte também é questionamento e deve falar do que cada artista sente e ve.

  • Julio Dantas

    muito bom esse tumblr , não conhecia

  • Pedro

    esse cabelo amarelo da penúltima imagem é demais…

  • http://quadrinhosgonzo.wordpress.com/ Jussara Gonzo

    Loiras falsas! :D

  • Pingback: DALI NA PLAYBOY « Campari Joy

  • Pingback: Und sonst so? : 11. 08. 11 | rebel:art

  • Amilcar Andrade

    Dona Janara:

    Os puritanos estão aí para cumprir com a função deles: serem os verdadeiros guardiões da moral e dos bons costumes da humanidade, julgando e interferindo sempre que possível na vida alheia, forçando seus conceitos goela abaixo em quem quer simplesmente ser… livre. Os gays não podem casar, artistas não podem se expressar, as pessoas não podem decidir por elas mesmas o que fazer com suas liberdades, pois na visão dos puritanos, os outros mortais que queimarão no inferno não tem capacidade de fazer algo sincero e visceral que não corrompa com qualquer departamento da sociedade.

    Dessa forma, torna-se óbvio o fato que você comentou no seu post:

    “Outra coisa que eu acho uma grande palhaçada: o fato da IdeaFixa ser bloqueada em muitas universidades porque o tema da primeira edição é Sexo. Tem coisas que não dá mesmo para entender…”

    Discordo no ponto em que não dá para entender. Dá sim. Só porque as universidades são instituições de múltiplos cursos formadores de profissionais de nível superior e também responsáveis por “fomentar a cultura”, não significa que o quadro de funcionários e até mesmo reitores e donos vão de acordo com os princípios educacionais e de respeito. É só lembrar a posição tomada pela Uniban perante o escândalo da aluna que foi humilhada na faculdade por causa do vestidinho. Puritano é puritano. Independente de classe social.

    No final das contas, acessar o conhecimento é fácil. Difícil mesmo é ter bom senso. Eu que humildimente o diga.

  • http://www.juliabolliger.com Julia Bolliger

    Tem algumas coisas q eu gosto na vida. Uma delas é ler textos bem escritos, argumentos bem colocados, não importando se estou de acordo ou não. Isso sim é inspirar o próximo! Obrigada por isso, Amilcar. Um beijo.

  • Pingback: As capas da Vogue feitas por Salvador Dali | IdeaFixa - artes visuais, ilustração, design e fotografia

  • http://www.flickr.com/felipecachopailustrador cachopa

    Danado! Dali e seu bigode sempre ereto.

  • Bruno

    Muito bom o artigo! Show

  • Pingback: IdeaFixa » As capas da Vogue feitas por Salvador Dali

  • Helu

    Não sabia dessa participação do Dali! Adorei!!!